O padrão e os livros do John Green

Eu gosto muito de ler, mas não me prendo a um só gênero. Confesso que quando ouvia falar de "A Culpa é das Estrelas", tinha um certo preconceito, apesar de sempre ter gostado de livros de romance...achava que as pessoas exageravam quando diziam que a história era "a melhor" e tudo o mais. Bem, depois que li, confesso que concordo quando dizem que a história é linda, mas ainda acho que exageram. Mas sabem o porquê? Porque John Green, o autor desse livro, tem outras histórias e não dá pra dizer que "essa é melhor que aquela, essa é mais linda que aquela e blablabla". Todos os livros de Green seguem um padrão, com jovens no "núcleo" principal, descobrindo e refletindo sobre eles mesmos e situações (comuns ou não) vividas por eles. Recentemente, comprei todos os livros do John Green (A Culpa é das Estrelas ganhei de presente, há meses) e vim aqui falar um pouco sobre cada um desses, que não são tão populares quanto o primeiro, mas que possuem histórias igualmente cativantes e joviais:

1. Cidades de Papel
Fonte: psychobooks.com.br
Sinopse: "Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia."

Observação pessoal: Não parece, mas é um livro que trata bastante de questões pessoais, sobre a confusão pela qual nossa mente passa durante a adolescência.

2. O Teorema Katherine

Fonte: melinasouza.com
Sinopse: "Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera."

Observação pessoal: Não é um romance que surpreende, mas tem um humor irônico que cativa. Alem disso, as mudanças de humor repentinas de Colin até causam uma identificação. Em alguns momentos, chega a ser melancólico.

3. Quem é você, Alasca?
Fonte: blogdaruiva.com
Sinopse: "Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez"."

Observação pessoal: Muitas experiências são narradas neste livro: amizades, inícios, novas experiências, primeiros amores, etc. É simples, na medida do possível, e de leitura fácil. 

E aí? Se interessaram por algum? Garanto que todos os livos do Green possuem algum elemento que causa surpresa. Trouxe esses pra vocês porque acredito que sejam bem joviais, antenados e cheios de reflexões, sem mencionar a escrita gostosa do autor. Se você também já leu algum eles, comenta sua opinião e vamos debater!

Um comentário :

  1. Cara, me sinto muito mal por nunca ter lido nada dele hahahaha todo mundo fala tão bem! Minha irmã já leu vários. Vou ver se leio pelo menos A Culpa é das Estrelas.

    www.pedrasnajanela.com

    ResponderExcluir

Gostou?
Deixe aqui sua opinião, é muito importante pra mim receber esse feedback <3
Mas lembre-se, ofensas nunca são bem vindas, seja legal, o bem sempre volta.